domingo, 22 de dezembro de 2013

Uma Vez Mais Abismo


Uma vez mais beijei lábios vazios
Lábios que nada me prometem
Lábios casuais e insípidos,

Desperdiçando carícias
como se nada valessem,
tocando com lábios férteis de sonhos
a escuridão de outros,
tão despropositados e inférteis.

Tantos passam assim,
dias e dias mergulhados
em profundo caos,
beijando lábios sedentos de vinho,
que ao abrirem-se,são frio abismo.

Esses Olhos Profundos Refletem o Real Vazio Desconexo do Mundo




Aqui estou de pé na relva,sob a luz da imensa lua.Punhos fechados em meio a uma interminável batalha...

Então eu me pergunto se você já sentiu-se desse modo,como que descolado,desprendido do mundo,como se não pudesse se encaixar em nenhum dos inúmeros lugares e pessoas que existem.Você é como uma peça de um quebra-cabeça que fora perdido por aí,em tempos desconhecidos.Sua conexão com as pessoas é tão desejada,porém todos os seus esforços são em vão,como se estivesse preso dentro de uma bolha na qual o exterior jamais toca.Você aí na sua impenetrável bolha de óleo e esse imenso mar de gente em volta;água e óleo misturados porém sempre distintos,insolúveis.
Por muito tempo andei entre os mais variados grupos,pessoas de diversas culturas e pensamentos,ideais e vestimentas.E por algum tempo ficávamos tão unidos,tão próximos que seus sorrisos eram meu sorriso e sua dor era a minha dor.Mas ali,de alguma maneira em algum lugar do meu ser,algo me diferenciava deles.Por mais que eu soubesse que muito neles estava de acordo comigo,algo me repelia fortemente.
Jamais escolhi esse distanciamento,por um longo período em minha vida eu tenho tentado pertencer,conectar-me às pessoas,e por maiores que sejam nossos laços de afeto e amor,elas simplesmente se vão,como água entre meus dedos oleosos.São rendidas por algo que muitas vezes nem mesmo eu posso compreender.Penso em minha condição todos os dias de minha existência,enquanto caminho e faço meu dever.Conformar-me?Aceitar?Acho que não tenho mesmo muita escolha,afinal sou,como ele sempre diz: "A Escolhida."...Sou a Caçadora.

VAMPYR #1 - Sensibilidade



Não era como nos outros dias,tudo havia se transformado.
Andar na rua agora era diferente,o olhar era diferente,a visão de mundo...
Era como se estivesse em uma dimensão paralela,e de lá,chocando-se com este planeta,
essas pessoas,esse sistema.
Lawrence sentia-se superior aos outros,a humanidade que ele possuía antes já não existia.
Era como se as pessoas em volta notassem o fluido mágico que ele continha.
Elas o olhavam extasiadas enquanto ele passava por elas.E ele passava,imensamente orgulhoso
do que havia se transformado.O cheiro das pessoas instigava seus instintos de vampiro,
esse cheiro forte de vida e de sangue aguçava ainda mais todos os seus novos sentidos
e seus poderes sobrenaturais.
-Eu poderia explicar para milhões de pessoas como é sentir-se desse modo,sentir-se poderoso o bastante
e forte o suficiente para atrair ou destruir o que quer que seja.é como se tudo em mim fosse maior
que a humanidade,meu corpo de mortal não condiz com a grandeza de meus sentidos.Para mim,
hoje e para sempre já não existem barreiras.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013




FIM DE ANO.fINALMENTE VOLTEI DA TUMBA! rsrs

Homenagem:Álvares de Azevedo

Homenagem:Álvares de Azevedo

Homenagem:Anne Frank

Homenagem:Anne Frank

Homenagem:Cazuza

Twilight

New Moon

Eclipse

Breaking DowN