domingo, 22 de dezembro de 2013

Uma Vez Mais Abismo


Uma vez mais beijei lábios vazios
Lábios que nada me prometem
Lábios casuais e insípidos,

Desperdiçando carícias
como se nada valessem,
tocando com lábios férteis de sonhos
a escuridão de outros,
tão despropositados e inférteis.

Tantos passam assim,
dias e dias mergulhados
em profundo caos,
beijando lábios sedentos de vinho,
que ao abrirem-se,são frio abismo.

Esses Olhos Profundos Refletem o Real Vazio Desconexo do Mundo




Aqui estou de pé na relva,sob a luz da imensa lua.Punhos fechados em meio a uma interminável batalha...

Então eu me pergunto se você já sentiu-se desse modo,como que descolado,desprendido do mundo,como se não pudesse se encaixar em nenhum dos inúmeros lugares e pessoas que existem.Você é como uma peça de um quebra-cabeça que fora perdido por aí,em tempos desconhecidos.Sua conexão com as pessoas é tão desejada,porém todos os seus esforços são em vão,como se estivesse preso dentro de uma bolha na qual o exterior jamais toca.Você aí na sua impenetrável bolha de óleo e esse imenso mar de gente em volta;água e óleo misturados porém sempre distintos,insolúveis.
Por muito tempo andei entre os mais variados grupos,pessoas de diversas culturas e pensamentos,ideais e vestimentas.E por algum tempo ficávamos tão unidos,tão próximos que seus sorrisos eram meu sorriso e sua dor era a minha dor.Mas ali,de alguma maneira em algum lugar do meu ser,algo me diferenciava deles.Por mais que eu soubesse que muito neles estava de acordo comigo,algo me repelia fortemente.
Jamais escolhi esse distanciamento,por um longo período em minha vida eu tenho tentado pertencer,conectar-me às pessoas,e por maiores que sejam nossos laços de afeto e amor,elas simplesmente se vão,como água entre meus dedos oleosos.São rendidas por algo que muitas vezes nem mesmo eu posso compreender.Penso em minha condição todos os dias de minha existência,enquanto caminho e faço meu dever.Conformar-me?Aceitar?Acho que não tenho mesmo muita escolha,afinal sou,como ele sempre diz: "A Escolhida."...Sou a Caçadora.

VAMPYR #1 - Sensibilidade



Não era como nos outros dias,tudo havia se transformado.
Andar na rua agora era diferente,o olhar era diferente,a visão de mundo...
Era como se estivesse em uma dimensão paralela,e de lá,chocando-se com este planeta,
essas pessoas,esse sistema.
Lawrence sentia-se superior aos outros,a humanidade que ele possuía antes já não existia.
Era como se as pessoas em volta notassem o fluido mágico que ele continha.
Elas o olhavam extasiadas enquanto ele passava por elas.E ele passava,imensamente orgulhoso
do que havia se transformado.O cheiro das pessoas instigava seus instintos de vampiro,
esse cheiro forte de vida e de sangue aguçava ainda mais todos os seus novos sentidos
e seus poderes sobrenaturais.
-Eu poderia explicar para milhões de pessoas como é sentir-se desse modo,sentir-se poderoso o bastante
e forte o suficiente para atrair ou destruir o que quer que seja.é como se tudo em mim fosse maior
que a humanidade,meu corpo de mortal não condiz com a grandeza de meus sentidos.Para mim,
hoje e para sempre já não existem barreiras.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013




FIM DE ANO.fINALMENTE VOLTEI DA TUMBA! rsrs

sexta-feira, 29 de março de 2013

EU QUERIA SER UMA INDÍGENA...




Assim eu teria os bons e velhos deveres de respeitar os anciãos
(que seriam obrigatoriamente mais sabios que os jovens
e seriam capacitados a me dar lições de caráter).
Sendo uma indígena eu teria discernimento,pois aprenderia desde criança
o que fazer e o que não fazer dentro da minha tribo,
e saberia que a minha tribo não se resume aos mais chegados,
e sim,a todos os que ali já estavam muito antes de eu nascer,
e que estarão lá mesmo depois que eu deixar de ser uma curumim.

Sendo indígena,eu receberia os forasteiros e eles seriam bem tratados
como se fossem mandados à minha aldeia pelo próprio Tupã.
Fumaríamos e beberíamos e comeríamos unidos,dividindo tudo e sendo
verdadeiros e gentis (ainda que o nosso hóspede não me agradasse tanto assim...)
À noite dormiríamos bem,e dormiríamos todos em confortáveis redes,
sem que nenhuma rede fosse mais agradável que a outra,
a não ser que alguma companhia se aproxegasse de mansinho...

Eu queria ser uma indígena,para não maltratar,
não ser egoísta nem malcriada,ou me gabar pelos bons atos,
que é dever de qualquer pessoa.
Queria ter um caráter de indígena...
Mas espere aí! É preciso ser um Carajá para tentar ser isso tudo,
ou basta ser um ser humano de verdade?
Aos covardes o mito,
a crença de que por serem isso ou aquilo
nada podem fazer para ser alguém melhor.

EXORCIZANDO INDÍGENAS




Desde o bRASIL colonial,o índio é tratado como um demônio a ser exorcizado.Destroem a vida indígenas como se fosse lixo a ser recolhido.
Sua cultura e suas crenças eram vistas apenas como algo exótico a ser eliminado;seu modo de vida sustentável era desrespeitado pela destruição de suas florestas e matança de seus animais.
A Igreja impunha sua religião.Estendia as mãos para catequizar,escondendo nas mangas a palmatória e o chicote,destinados ao índio rebelde.
Os colonizadores com seus brindes reluzentes na verdade eram ladrões afim das terras,das pedras preciosas,animais raros,e das índias.
Havia luta e,ai de quem lutasse! Os que não se submetiam acabavam morrendo das "doenças dos brancos",típicas viroses vindas de fora das quais não se tinha conhecimento ou cura.

TANTA DOR E SANGUE E LÁGRIMA
que parece que foi ontem...
...mas espere aí,FOI ONTEM!

Foi ontem com os Guarani-Kaiowá,
foi ontem também com os da Aldeia Maracanã!
ESTÁ SENDO HÁ 513 ANOS de expulsões e derrame de sangue!
"Saiam todos,não precisamos de vocês!" Dizem as autoridades.
Querem que as comunidades indígenas se tornem apenas pecinhas num museu.MAS QUE MUSEU? se até mesmo os museus indígenas estão sendo demolidos em favor de CAUSAS ESTÚPIDAS como a criação do Museu da Copa!

GENTE,SOMOS SERES HUMANOS!
VOCÊS NÃO VÊEM ISSO??
NÃO QUEREMOS FUTEBOL,DEVOLVAM A DIGNIDADE DOS NOSSOS ÍNDIOS!


Por Beth Diamond. 22/03/2013

quarta-feira, 27 de março de 2013

19 DE ABRIL----DIA DO INDIO???







O dia do Índio tem como função relatar os direitos indígenas e faz com que o povo brasileiro saiba da importância que eles tem na nossa história. Um povo que foi massacrado,humilhado e escravizado pelos colonizadores ,mas mesmo assim tem sua importância no contexto histórico do Brasil. Eles proporcionaram ao nosso passado um histórico cultural rico,com desenvolvimento de tratamentos medicinais caseiros,comidas típicas e métodos de plantio.

Devemos lembrar também, que os índios já habitavam nosso país quando os portugueses aqui chegaram em 1500.
Desde esta data, o que vimos foi o desrespeito e a diminuição das populações indígenas. Este processo ainda ocorre, pois com a mineração e a exploração dos recursos naturais, muitos povos indígenas estão perdendo suas terras.

FONTE :WIKIPEDIA

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Apoie a Vida!

ASSINE E COMPARTILHE

FAÇA SUA PARTE!

http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=SosSeca

domingo, 10 de fevereiro de 2013

A Horrível Vila dos Bobos



Aqui é a vila dos bobos onde ser feliz é errado
e a liberdade foi bem presa e acorrentada numa gaiola.
Os passarinhos não cantam,e se cantassem,seria tao baixo
que não se distinguiria nesse mundo em preto e branco.

Não nos dão parabéns no nosso aniversário ou em qualquer outra boa ocasião;
e visto que ninguém é realmente feliz,aqui tem uma fábrica
onde se fabrica máscaras de Cheshire
para tão somente serem usadas quando
um novo ditador se auto eleger.

Aqui é a vila dos bobos,
se nascido aqui desejares ser tu mesmo,
ou ainda,que todos pensem por si mesmos,
em um 3 2 1 te cortarão a cabeça e
teu corpo lhes será de arranjo como uma bela árvore de natal!

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Você Será Sempre Uma Garota Sonhadora e Feliz



NÃO DEIXE NUNCA QUE SE PERCA A SUA ESSÊNCIA! (=

Always Be Brave.



terça-feira, 15 de janeiro de 2013

The Girl in My Heart




No meu coração há uma menina...

Ela costumava brincar todos os dias,
ela continha a inocência e aquele frescor de quem sempre
tem algo novo a aprender.
Se percebia alguém triste,lhe dava um enorme e espontâneo sorriso.
Se precisava de um abraço corria feliz para quem sabia que a amava.

Até que um dia,brincando pela floresta,ela tropeçou e caiu.
Ficou um tanto machucada,mas seguiu sua vida de menina crescendo.
O tempo foi passando e a menina teve toda espécie de sentimentos que podia,
e passeava ainda em meu coração.

Com o tempo passou a existir algo diferente na garota,
algo nela que antes brilhava já não era tão vivo e ofuscante;
seus olhos às vezes vagavam perdidos e receosos sobre tudo.

Os ponteiros giraram mais uma vez e aqui está a garota,
mas não há muito o que se contar.
Algo na densa e sortida floresta a havia envenenado.
Não havia sido alguma daquelas frutinhas que se comer nos fazem mal,
e nenhum dos animaizinhos a havia ferido mortalmente.

Sem dúvida algo mais grotesco e mais vil,e tão humanamente nocivo a havia feito aquele dano.Um espelho escondido,onde ela se apreciava todos os dias,o qual refletia sua imagem de modo distorcido e entorpecente.

Há uma menina no meu coração,tão enegrecida por denegrir a si mesma,que mal tem forças para brilhar e encandecer.O tempo não pode ser desfeito e nem antever os fatos;e pode ser,e pode não ser,que essa garota na verdade seja apenas um cadáver.











MIRRORING



Era uma noite fria e densa de neblina por onde August caminhava. Seu corpo esguio não revela sua força de leão nem suas habilidades de assassino. Imitador dos gestos e do tom de voz de suas vítimas,ele capta e toma para si tudo que há nelas.Pode passar dias absorvendo a personalidade de quem quer que seja,e em tudo ele é detalhista.

Não importa se homem ou mulher,veste-se como tal e passeia pelas ruas frias de seu país,como se fosse a legítima pessoa em questão.Dona de casa,padeiro,bancário,alfaiate e mesmo um pobre mendigo,pode ser quem quiser e atuar pelo tempo que lhe aprouver no seu teatro de serial killer. Grande prazer ele sente nisso e sua personalidade de mirroring o absolve de quaisquer culpas e remorsos dos quais padecem os seres humanos.

Hoje a noite August é uma enfermeira nova na cidade,mês passado ele fora uma trapezista;de pacato à circense,de mórbido à curador.
Às vezes bebia do sangue de suas vítimas acreditando absorver mais de sua essência e dar mais vida ao personagem.Brincava de ser drag queen,sentindo gosto em vestir-se de mulher. Quem sabe um dia desses,ele que é tão aficcionado por espelhos,se veja num deles com sua própria feição e características...seria na certa o seu suicídio.

domingo, 13 de janeiro de 2013

MORREMOS SE PERDERMOS O SENSO DE HUMOR.
2013 está aí!! Em breve retorno com novas postagens... Bajs!

Homenagem:Álvares de Azevedo

Homenagem:Álvares de Azevedo

Homenagem:Anne Frank

Homenagem:Anne Frank

Homenagem:Cazuza

Twilight

New Moon

Eclipse

Breaking DowN