quarta-feira, 28 de julho de 2010

D-Girl :She is disco


D.I.S.C.O.
Ottawan

D.I.S.C.O (3x)
She is disco

She is D delirious
She is I incredible
She is S superficial
She is C complicated
She is O oh, oh, oh

She is D desirable
She is I irresistible
She is S super sexy
She is C such a cute
She is O oh, oh, oh

D.I.S.C.O.
She is disco

She is D disasters
She is I impossible
She is S super special
She is C crazy, crazy
She is O oh, oh, oh

She is D delightful
She is I incredible
She is S sensational
She is C sweetest candy
She is O oh, oh, oh

D.I.S.C.O
She is disco


(No Poison-Yes Disco!)

domingo, 25 de julho de 2010

Pés Cansados,Mas Pés Inteiros



Pés cansados,mas pés inteiros,
Que se renovam a cada passo,mesmo estando só
porque o ser humano que não teme ficar só
é o que tem força para superar as perdas,

é o que tem força para seguir a vida
é o que valoriza sua vida acima de tudo
e descobriu o seu segredo,

que é superar qualquer tombo
tendo seu próprio tempo
para se reerguer
ainda que não aja ninguem para ajudar
pois não ha obrigação de ajudarem,

pés inteiros são os pés de quem
se fortificou a vida inteira
para viver bem
e para se permitir viver só
ou com pessoas em volta.

Pés cansados porém nunca solitários,
pois são os pés de quem caminha
sendo amigo de si mesmo,
sendo bom e cuidadoso consigo mesmo
e assim aceitando cuidar e amar os outros
e permitir que se aproximem...

quinta-feira, 22 de julho de 2010

BE BRAVE!



"Into every generation, a Slayer is born. One girl in all the world, to find the vampires where they gather, and to stop the spread of their evil and the swell of their numbers."

domingo, 18 de julho de 2010

Dead-end Girl





Die die die my darling
Don't utter a single word
Die die die my darling
Just shut your pretty eyes
I'll be seeing you again
Yeah I'll be seeing you in hell
So dont cry to me oh baby
Your future's in an oblong box
Dont cry to me oh baby
You should have seen it a comin' on
Dont cry to me oh baby
Had to know it was in your power
Dont cry to me oh baby
Dead end goal for a dead end girl
Dont cry to me oh baby
And now your life drains on that floor
Dont cry to me oh baby
Die, die, die my darling
Don't utter a single word
Die, die, die my darling
Just shut your pretty mouth
I'll be seeing you again
I'll be seeing you in hell
Dont cry to me oh baby
Your future's in an oblong box
Dont cry to me oh baby
You should have seen it a-comin' on
Dont cry to me oh baby
Had to know it was in your power
Dont cry to me oh baby
Dead-end goal for a dead-end girl
Dont cry to me oh baby
Now your life drains on that floor
Dont cry to me oh baby
Die, die, die my darling
Don't utter a single word
Die, die, die my darling
Shut your pretty mouth
I'll be seeing you again
I'll be seeing you in hell
Die, die, die
Die, die, die
Die, die, die
Die...


My whole world turns misty blue.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Enfim Ba-en-Aset



na antiga vida queria que alguem visse o que eu tinha de especial
voce viu e por isso estara sempre em meu coraçao
mas o que eu realmente precisava era eu mesma ver
e agora eu vejo
voce e um bom homem
mas voce vive num mundo que nao tem lugar para alguem como eu
sabe as vezes eu sou boa sou muito boa
mas as vezes eu sou ma,mas so o quanto eu quero ser.
liberdade é poder
viver uma vida sem ser subjugada e sem medo é uma dadiva que eu recebi
e assim começa minha jornada.

terça-feira, 13 de julho de 2010

CUBEECRAFT!!!!!



http://www.cubeecraft.com/

"Se você não sabe para onde quer ir, então é indiferente o caminho que venha a seguir."


ALICE NO PAÍS DO PLEBISCITO

Há uma passagem muito conhecida de Alice no País das Maravilhas, na qual a pequena
heroína de Lewis Carroll dialoga com um gato. Ela não quer mais continuar onde está e
pergunta ao animal: "Como posso sair daqui?" O gato responde: "Depende". A menina
indaga: "Depende de quê?" E o gato esclarece: "Depende de para onde você quer ir."
O diálogo prossegue. A garota diz que quer sair de onde está, mas não tem nenhuma
preferência quanto ao lugar para onde vai. Então o bicho lhe retruca: "Se você não sabe
para onde quer ir, então é indiferente o caminho que venha a seguir."
O episódio tem fascinado os leitores de Lewis Carroll desde o século passado. Como toda
criação importante da fantasia literária, ele comporta diversas interpretações e não se deixa
esgotar por nenhuma delas. Todos nos identificamos com Alice, na medida em que já
vivemos situações nas quais estávamos em lugares de que desejávamos sair, fosse para
onde fosse. E todos reconhecemos a sabedoria do gato, que nos lembra que o sentido do
nosso movimento é aquele que nós mesmos lhe imprimimos. Sem garantias antecipadas de
sucesso.
A advertência do gato vale para a experiência de cada um e vale, também, para a história
política, que somos chamados a fazer coletivamente. Na vida privada, cada um faz suas
escolhas, tenta decidir seu futuro: opta por um trabalho, por um casamento, por uma
determinada estruturação da família, por uma determinada organização da existência
quotidiana (com seus prazeres e suas responsabilidades). Na história política, procuramos
nos articular com o nosso grupo, assumimos nossos compromissos, discutimos, fazemos
propostas, optamos por um programa de transformações que consideramos exeqüíveis e
convenientes à nossa sociedade. Em ambos os casos, implícita ou explicitamente, estamos
decidindo para onde pretendemos ir.
Quando têm consciência, efetivamente, das escolhas que estão fazendo quanto à direção
que decidem seguir (e sabem dos riscos que tais escolhas sempre comportam), é normal que
as pessoas fiquem tensas, é compreensível que elas tenham momentos de hesitação e
angústia.
Convém recordarmos, entretanto, que a hesitação, tanto na vida particular como na história
política, tem sua legitimidade. E às vezes as pessoas ou correntes que não vacilam nunca
são apenas aquelas que jamais param para pensar na gravidade da advertência do gato de
Lewis Carroll: simplesmente fecham os olhos diante dos perigos.
Algumas embarcam no ônibus da utopia, sem examinar o itinerário que ele vai percorrer;
outras enveredam por qualquer caminho (só para sair de onde estão); e há as que acabam se
resignando a ficar onde já se encontram, aguardando passivamente uma salvação mágica.

(Leandro Konder in “O Globo”, 20/03/1993)

segunda-feira, 12 de julho de 2010

SELINHOS DA SAGA CREPUSCULO!!











MAIS EM:http://capricho.abril.com.br/nainternet/crepusculo/

sexta-feira, 9 de julho de 2010

My Heart Burns


I'm sad because it rains so strong
in my present
is so dark
and all look at me with anger
with disbelief
and failure

there is no one who does not blame me
the world has turned its back
and it rains so strong
you only hear the sound
the voice of death.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Eclipse



If all else perished, and he remained, I should continue to exist if all else remained and he were annihilated, the universe would become a mighty strange

domingo, 4 de julho de 2010

Coração Centenário


Meu coração bobinho
fez-se uma forma
onde so cabe você.
Emoldurou teu retrato
Na parede do quarto
Vazio
No vão do coração
Solitário.

E agora só cabe você
só entra você
Só você encaixa
Na forminha do coração
Centenário.

Que uma vez solitário
Aprendeu a te amar
E a não mais te esquecer.
E pendurou teu retrato
enfeitando o telhado
E esfregou o assoalho
Só para morar você.

Homenagem:Álvares de Azevedo

Homenagem:Álvares de Azevedo

Homenagem:Anne Frank

Homenagem:Anne Frank

Homenagem:Cazuza

Twilight

New Moon

Eclipse

Breaking DowN