sábado, 31 de outubro de 2009

Joe Couch Potato


Joe Couch Potato
Não tinha culpa de ser um zé-ninguém,
Estava desempregado e sem um bem,
Sem calças e sem sapato.

Joe Couch Potato
Não sabia o que era viver,
A vida dele era catar no lixo o que comer
E no lixo só se via rato!

Mas ele não tinha culpa de ser pobre,
Pois seu país capitalista o oprimia
E sua vida sem querer era vadia
Perto da de um burguês esnobe.

Joe Couch Potato
Até tentava melhorar,trabalhar,estudar,
Mas ele era negro,e negro sabem discriminar!
O chamavam de seboso preto.

Quando ele morreu em dor infame
Os homens o atiraram numa vala suja
E esqueceram dele,e não sabiam seu nome.

A famosa Ordem e Progresso
o Joe não conheceu,
Conhecia só o descaso,a opressão, a fome,
E a sua triste cara de pobre e preto
que lhe refletiu no carro que o atropelou.

Eu era o Joe Couch Potato!

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Explicação de Porque Que Eu não Explico


Um dia me perguntaram o que gosto de ouvir
Por que sou assim e porque faço tudo diferente
Esse jeito que é só meu,tô nem aí pra te imitar
E essa atitude foda de querer me expressar.
Minha letra diferente,coisas que eu não vou me preocupar
Atitude irreverente e o meu jeito de andar,
O que eu passo no cabelo ou o que deixo de pensar
Tudo o que eu sei que não precisaria explicar...

(E eu digo...)

Eles me perguntariam por que é que eu fiz isso
E eu diria sem pensar que porque sim
Aí fica o mistério de eu não me denunciar
que não seria o mesmo se eu fosse desvendar.

Uma coisa é mais bonita se é mistério pra você
Uma mulher é mais charmosa se tem brilho no olhar
O mistério do universo e de todas as questões
É que faz tudo isso ser sempre mais encantador.
É como a filosofia e as coisas do amor
É como o socialismo,o corpo humano e suas funções
Tudo que cê quer saber e ninguém sabe a resposta
Não teria o fascínio se pudesse desvendar.

140 Km/h



Conto as horas pra sair
Desse leve desespero,
Já nem tento me iludir
Vou correndo pela estrada
A cento e quarenta.

Nada é mais real,
Nem a dor nem o mal,
Você nem percebe a diferença
De whisky e red bull.

Mas nada é tão bom,
Não vale a pena arriscar,
Há outras paisagens pra se ver
A menos de cento e quarenta.

Aos poucos vou reduzindo
E respirando melhor,
Porque eu sei que há
coisas pra se ver
sem que eu me perca em você,
a cento e quarenta.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Três Vivas Pro Cazuza!


Viva a alegria,viva a liberdade
Viva ao tempo gasto com os amigos,
viva as noites de festa,
Viva se cuidar,viva aos comes e bebes
Viva a vida,que é só uma,
E a juventude que não se repete.
E quando envelhecermos,
não poderemos mais viver
essas aventuras e as loucuras da nossa
Galera do Abraço.


Viva ao exagero equanto ele é bem vindo,
Enquanto o nosso espírito vibra
E tudo em nós diz que podemos tudo!
Viva ao jeito Cazuza de viver.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

The Prê


O que é isso que me dissolve diariamente.
Que me faz tão mal e me desorienta,
Que me faz lamentar uma perda ainda não sofrida?

O que é isso que me dissolve,
Que me faz doer sem estar ferida,
Que não se mostra nem cicatriza,
Que me persegue e me diz forte:
-Não progride,mas fica!

Ereshkigal



Vou-me embora pra Kur-Nu-Gia
Enamorar-me nos braços de Nergal,
Sou a rainha dos vastos caminhos
E através dos tempos-Ereshkigal!

Sou a filha de Anu,sou dona
Dos palácios e castelos infernais;
Sou a filha de Nammu,sou rainha
Sentada no trono do lar eterno.

Contem-me,servos,contai-me,Namtar
Os segredos da rainha Lilith.
Quem a fez tão venturosa de ser
A esposa de nosso Senhor das Trevas?

Nergal,como ousas subestimar
A beleza e a juventude de Ereshkigal?
Ó deus da guerra e da morte,pois
Tua sorte será curvar-se aos meus pés!

Kur-Nu-Gia,meu lar eterno,
Mande que tragam mais almas,
Mande que tragam mais servos,
Mande que se façam sacrifícios
Ao poderoso Senhor das Trevas!

Ó Namtar,traze-me notícias,
O que ocorre lá fora?Dize!
Buscai o meu melhor servo
Para que me traga o seu bem
Para que ela me dê a sua vida
Em honra ao meu grande nome:Ereshkigal!

O Louco do Beco


Em minha casa vive um monstro
Que desforra as almas e arrasa,
Um monstro de língua de fogo
Que vive e mata,em minha casa.

Nos machuca e nos oprime
A dor,que é forte e sem saída.
Não sabe amar,o monstro que nos fez,
E nossa paga é o ódio pela vida.

Sua vilania é poderosa e transforma
Os outros também em monstros;
Todos juntos numa guerra contra todos
Onde reina a dor e o trauma.

Tormento,ataque e fúria,
Mas não há quem freia,quem caça
O monstro que promove a tortura,
O louco que vive em minha casa.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Os Nove Labirintos


Eu perdi o meu colar favorito.
Eu não sei falar francês.
Ainda são seis horas?eu nem sei.
Eu passo todos os dias por nove labirintos,
E quatro deles tem cheiro de eucalipto.

Me dá o meu café,eu mal consigo
Ficar de pé nessa confusão.
Eu solto a sua mão,cinco dedos imóveis
debaixo desse teto,às seis da manhã.

O mais importante da vida está
Em aprender a viver,
se dar uma chance de amadurecer,
não desistir de tentar,buscar o seu melhor.
Tomar todo dia dois goles de adrenalina
e respirar um tanto assim de monotonia.

...Eu perdi o meu colar favorito,
e eu não sei falar francês...
Ainda eram seis horas e você me dizia:
"Je t'aime,Je t'aime".

Equilíbrio


A gente tem que ser comedido,
Não pode ser desenfreado,
Tem que conter a impulsividade
E as atitudes erradas.
A gente tem que aprender
a ser consciente:
Cada um faz o que quer,desde
que enfrente as consequências.

Quando você parar de se interessar
Apenas pelo que sente,vai estar
Preparado para novas experiências
E pra vida além do seu mundo comum.
Quando você souber se comportar e
Respeitar os limites ea vontade dos outros,
O mundo vai estar preparado pra você
E você pro mundo,e para a vida além
do seu mundinho comum.

"God Save The Queen!"



Eu já estou de saco cheio de todos
Me pedirem para ser mais atenta.
Eu não quero saber de nada além do necessário,
Eu só sei dos assuntos que me convém.
Mas todos me cobram experiência
E um pouco mais de eloquência e simpatia.

Só que eu não vou poder fingir pra sempre,
Uma hora vou ter que ser como eu sou:
Uma garota que não está nem aí
Pra puxar o saco de ninguém,
Uma simples garota que quer viver sem
comentários,e longe dessa gente ridícula
que encena papéis fajutos.

Eu quero viver num mundo melhor.
Que a arrogância morra
e os hipócritas também.
God save the queen!

Top Secret



O meu quarto é um paraíso
Onde só eu posso entrar,
Lugar de reflexão,
Pensamentos perdidos...
Lugar de encostar na parede
e chorar.

Lugar de ver a lua da janela,
Lugar de fumar escondido,
Lugar de pensar besteira
(que todo mundo pensa!)
Lugar de sonhar.

No meu quarto tem uma Tv
Onde eu vejo as coisas que eu quero,
Onde aprendo que as pessoas não passam
Quando realizam seus sonhos
E Fazem os outros sonharem também.

O que eu sei é que os jovens
não morrem nunca;
pois ainda que não mais os vejamos,
eles sempre estarão na paz de seus quartos.

Rebelde Fazendo História


Eu vim aqui para fazer uma história nova,
E giro no meu quarto,pegada atrás de pegada,
Enquanto escrevo...
Agora sei para que nasci:fiz um sentido para minha vida.

Não me arrependo de nada.
Quero fazer o que gosto:escrever,
Enquanto faço o que não quero:viver.

Um beijo para a família,
Um escarro pro passado,
E um brinde à vida!

Não deixemos nunca de ser contraditórios.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

OCTOBER



October,we know,is the month of the Halloween...
Common to every year,witches and vampires appears,
Tellin'us to choose:" Truth or Consequences"
October:the month of capitalism's jokes!
But,beyond the darkness the truth reveals in a
Extreme scream:Halloween is not about people!
Risks and spells,powers and Death:this is the true Halloween!

Homenagem:Álvares de Azevedo

Homenagem:Álvares de Azevedo

Homenagem:Anne Frank

Homenagem:Anne Frank

Homenagem:Cazuza

Twilight

New Moon

Eclipse

Breaking DowN